UM VERDADEIRO JARDIM

terça-feira, 13 de dezembro de 2011


Já deixei registrado neste espaço, em diversas ocasiões, meu amor por Jardim de Piranhas. E não poderia ser diferente. Foi aqui onde vivi uma infância pobre, mas extremamente feliz. As ruas do centro foram meu parque de diversões. O açude de Chico Nicolau, o melhor balneário que já conheci. O campinho de futebol, ao lado do Ginásio Walfredo Gurgel, um verdadeiro Maracanã. Nada me faltava naquela época, pois tinha por perto meus amados familiares, meus inseparáveis amigos e todo um mundo a ser desbravado e conquistado.

Nos últimos 30 anos, acompanhei de perto as transformações por que passou o município. Testemunhei os teares de pau serem substituídos pelos elétricos. Vi as primeiras gotas de água expelidas pelas torneiras. Assisti ao surgimento do CAP e do Independente. Participei ativamente da vida político-partidária, sonhando, em vão, com uma cidade melhor para todos, sem quaisquer distinções.

Por amar tanto esta cidade, às vezes não suporto ouvir calado as críticas que lhe fazem, principalmente quando estas partem de pessoas que aqui não residem. Não foram poucas as vezes em que saí em defesa de Jardim, tentando desfazer a imagem de que moramos em uma cidade violenta, desorganizada, de povo sem educação e propenso a fazer Justiça com as próprias mãos.

Sei que amor de mais cega, mas não podemos perder a razão a ponto de não enxergar o óbvio: Jardim de Piranhas, infelizmente, faz jus à grande maioria das críticas que lhe são feitas. A última enquete realizada por este modesto blog relacionou algumas coisas que nos fazem falta há bastante tempo, mas que estão presentes em cidades bem menores que esta. Se alguém duvida dessa constatação, sugiro visitar Cruzeta, Acari, Carnaúba dos Dantas e Florânia, para citar apenas essas, e ver como Jardim parou no tempo, à espera de não sei o quê.

Ainda nos faltam um barzinho aconchegante, um restaurante sortido e climatizado, um hotel, uma rodoviária, uma área pública para a prática esportiva, um banco, um cursinho pré-vestibular, um curso de línguas, uma escola de natação ou de outros esportes, um centro de velório, um museu, um centro cultural, saneamento básico, praças arborizadas e bem cuidadas, salão para festas e recepções, ruas limpas e livres dos esgotos a céu aberto e dos animais etc. Sonhar com tudo isso é pedir de mais, já que moramos num lugar conhecido pela abundância de carros de luxo?

A realidade é dura e cruel: Jardim não é o paraíso que alguns insistem em propagandear. O município, para nosso desgosto, não acompanhou o crescimento verificado na maioria das urbes de igual ou menor porte. Deixamos de fazer a lição de casa e marchamos timidamente há, pelo menos, umas três décadas. Enfrentamos sérios problemas estruturais que, por motivos que desconheço, ninguém até hoje teve a coragem suficiente para resolvê-los.

Chamar a atenção para nossos problemas, alguns extremamente graves, não pode ser interpretado como falta de afeto por esta querida terra. Muito pelo contrário. Somente os que amam Jardim, verdadeira e incondicionalmente, são capazes de aceitar as críticas feitas ao município pela maioria das pessoas que nos visitam ou aqui vêm a trabalho. Não mais ajamos, pois, como a coruja, que considerava os filhotes as criaturas mais lindas do mundo. Saibamos ouvir opiniões contrárias e delas extrair bons ensinamentos. Afinal, humildade e modéstia são gratuitas e não pagam imposto.

5 comentários:

Francisco Borges disse...

Parabéns Alcimar, tai uma matéria que disse tudo a respeito de nosso cidade. Vamos sonhar, quem sabe, um dia, nossos governantes pensem assim.

Anônimo disse...

Alcimar, eu não sou uma pessoa pessimista, mas, particularmente nem penso mais isso pra mim, já perdir a esperança; Só queria que os meus filhos tivesse tudo isso que você mencionou na matéria, já seria bom demais!!!!!!!! e olha que eu ainda sou uma pessoa jovem, tenho apenas 38anos.

Anônimo disse...

caro amigo Alcimar, uma curiosidade minha é saber pq na maioria das cidades pequenas(conheço uma com menos de 4.000 habitantes), já foram instaladas academias do idoso, e em Jardim nem se fala nisso, seria por falta de interesse dos gestores ou por falta de quem desenvolva o projeto?

ALCIMAR DA SILVA ARAÚJO disse...

Obrigado pelo comentário. Na verdade, não sei quem tem competência para instalar essa academia. Caso se exija grande soma de recursos públicos e dependa de repasse do Governo Federal, não há muito o que a Administração Municipal possa fazer. A questão central é que o esporte não tem sido priorizado como deveria pelos últimos governos.

Anônimo disse...

Um Balcão de Negócios para arquitetar vendas seguras e lucrativas para os produtos têxteis.
Um programa de construção de elevatórias(caixas d'água de alto volume) estruturadas no solo, nos lugares mais altos das propriedades rurais. As elevatórias seriam enchidas durante o período noturno, quando a energia elétrica é muito mais barata. A água das elevatórias supririam os sitemas de irrigação por gravidade. Essa é para você, Borjão.

Postar um comentário

You can replace this text by going to "Layout" and then "Page Elements" section. Edit " About "